top of page

Neutralidade Carbónica e os Mercados voluntários de Carbono - 10 horas online

Formação Acreditada pela DGERT


As empresas estão a ser chamadas para ser neutras em carbono e apresentarem as suas estratégias, compromissos e planos de ação. Para se atingir a neutralidade as empresas têm de:

  • Calcular as emissões de gases com efeitos (GEE) de estufa da empresa ao nível dos chamados âmbitos 1, 2 e 3

  • Compreender de que forma a empresa pode baixar as suas emissões através de uma melhoria na eficiência do uso da energia, através de uma melhoria dos comportamentos ou através da identificação de investimentos que possam mudar significativamente a sua pegada de GEE

  • Realizar uma análise custo / benefício que permita equacionar a viabilidade dos investimentos necessários, sendo que nessa análise de deve incluir um preço sombra do custo das emissões de GEE associadas à situação atual

  • Identificar as emissões de GEE que não se conseguirão eliminar pelos processos acima

  • Identificar o investimento necessário em mercados de carbono voluntários para que a neutralidade anual seja alcançada

  • Encontrar investimentos apropriados para o sequestro de carbono, e compreender as oportunidades, os riscos e as limitações existentes atualmente

  • Equacionar se faz sentido para a empresa também eliminar parte das emissões de GEE que emitiu desde a sua criação, uma vez que essas emissões contribuem para o stock atual de CO2 na atmosfera e que está a criar um contexto de aceleração da temperatura


Nestas 10 horas de formação os participantes ficarão a compreender o seguinte:

  • Modulo 1 (2h): O que são Gases com Efeitos de Estufa, e os âmbitos 1, 2 e 3 que as empresas têm de calcular. Será explicado a metodologia da GHG - Greenhouse Gas Protocol que é a utilizada para a realização dos cálculos 


  • Módulo 2 (2h): O que significa o âmbito 3, as categorias do âmbito 3 e métodos existentes para o cálculo


  • Módulo 3 (2h): Exemplos de melhoria da eficiência do uso da energia e análise de custo/beneficio incluindo o preço sombra por tonelada de carbono


  • Módulo 4 (2h): Compreensão entre mercados de carbono voluntários e obrigatórios; características dos mercados voluntários de carbono; explicação da proposta de decreto lei português sobre mercados de carbono e implicações efetivas; compreender os riscos e oportunidades associados a vários projetos que se apresentam como sumidouros de carbono


  • Módulo 5 (2h): Revisão geral dos temas, e compreensão da necessidade de se ir além da neutralidade carbónica de um certo ano futuro uma vez que o stock existente de carbono na atmosfera necessita também de baixar.



Valor 450€ (+IVA) para as empresas; 450€ (incluindo IVA) para pessoas individuais; 250€ (incluindo IVA) para desempregados e estudantes não empregados


Duração & Formato 10 horas | online


Datas & Horário abril 2024


Público-Alvo Colaboradores das áreas de sustentabilidade e ambiente; fundos de investimento, proprietários de terrenos; agricultores; empresas que querem compensar as suas emissões de CO2; todos os interessados pelo tema.



Formadores


Sofia Santos

CEO da Systemic, especialista em financiamento climático e em estratégias de Sustentabilidade. Tem ajudado várias empresas a desenhar as suas estratégias de sustentabilidade e a responderem a requisitos de investidores, tendo trabalhado também na conceção dos mercados voluntários de carbono. A nível internacional é, atualmente, consultora para a região de África no Green Climate Fund das Nações Unidas e consultora em Climate and Sustainability Finance em vários projetos para a Agência Francesa de Desenvolvimento.

Sofia Santos é autora de sete livros, dos quais três se dedicam ao financiamento sustentável. No ISEG é co-coordenadora do curso executivo de "Sustainable Finance", e dá aulas de temas de sustentabilidade e ESG ao MBA, Mestrado de Finanças entre outros cursos para executivos. 

Tem licenciatura em Economia pela ISEG, mestre em Economia pela Birkbeck College na Universidade de Londres e doutora pela Middlesex University em Londres sobre o papel do banco na promoção do desenvolvimento sustentável. Tem a certificação “EFFAS Certified ESG Analyst” e completou o curso onlide sobre a TCFD dinamizado pela UNEP FI, tendo obtido a nota final de 9,5 num total de 10 pontos.


Paulo Canaveira

Consultor Sénior Internacional em Alterações Climáticas e Negociações internacionais; consultor no desenvolvimento da primeira Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas, do Plano Nacional para as Alterações Climáticas (PNAC) e do Roteiro Nacional de Baixo Carbono 2050.

Atualmente é investigador no Maretec (Instituto Superior Técnico) e Leaf (Instituto Superior de Agronomia), onde trabalha em opções de mitigação e quantificação de emissões e sumidouros no setor agrícola. Anteriormente colaborou com a Agência Portuguesa do Ambiente no desenvolvimento do INERPA (Inventário Nacional de Emissões por Fontes e Remoção por Sumidouros de Poluentes Atmosféricos) e no apoio ao desenvolvimento de vários instrumentos, legislação e regulamentos de política climática a nível nacional e da União Europeia. Foi ainda, durante mais de 15 anos, negociador na Delegação Portuguesa e da União Europeia dando apoio nas negociações da Convenção Quadro das Nações Unidas para as Alterações Climáticas (UNFCCC) e Acordo de Paris (PA).


Diogo Almeida

Engenheiro ambiental, com mais de 6 anos de experiência profissional, é especialista em pegada de carbono e estratégia de neutralidade carbónica; avaliação e gestão de impactes ambientais, taxonomia, TCFD e SFDR em particular para o setor imobiliário. Têm várias certificações técnicas como: Formação em Integrated Reporting (ACCA)​; Formação em Carbon Reduction Strategy (Sustainability Academy Sustainable Finance, Giz)​; Curso de Introduction to Green Economy (Unitar); Formação em Promoting entrepreneurship for the circular economy (Circular Labs)​; Formação em BREEAM Associate (BRE Academy)​; Formação em Sustainable design & Resilience (BRE Academy)​ e Formação em ISO 140001 (Udemy)​.

Trabalhou em vários projetos de certificações ambientais internacionais na Enexpor e Pengest, e Economia Circular no Cecolab-circular Economy.​ Na Systemic tem calculado pegadas de carbono para várias empresas, associações e fundações.

Formadores:

Sofia Santos

Paulo Canaveira

Diogo Almeida

bottom of page